Posts recentes
Search
 

Ritidoplastia – Cirurgia de Rejuvenescimento Facial em BH

Dra. Helena Lima | Ritidoplastia - Cirurgia de Rejuvenescimento Facial em BH - Lifting Facial

Ritidoplastia – Cirurgia de Rejuvenescimento Facial em BH

Nesse post buscamos esclarecer com responsabilidade e transparência algumas dúvidas comuns que chegam ao consultório sobre a cirurgia de Ritidoplastia também conhecida como lifting facial ou rejuvenescimento da face. Dra. Helena Lima, cirurgiã plástica, atende em Belo Horizonte em sua | clínica no Instituto Belvedere IBEL. É importante lembrar a importância de agendar uma consulta para avaliação detalhada do paciente.

O que é Ritidoplastia, Cirurgia de Rejuvenescimento Facial?

A cirurgia de Ritidoplastia procura diminuir a flacidez e atenuar as rugas da face e pescoço, assim como remover os excessos de gordura localizada nestas áreas, dando ao rosto uma aparência mais jovial. Ao contrário de certas informações leigas, a ritidoplastia não elimina todas as rugas. O conjunto dos efeitos alcançados com a cirurgia levará a uma face rejuvenescida, sendo este o objetivo primordial da cirurgia.

Sabe-se que o resultado da cirurgia não interrompe o processo evolutivo de envelhecimento e assim, seus efeitos não são definitivos. Assim, podemos operar a mesma pessoa duas ou três vezes, variando somente alguns detalhes técnicos nas reoperações.

A pessoa estará sempre melhor na aparência do que se nunca tivesse sido operada. Não é possível, através da cirurgia, transformar uma face de 40 anos em outra de 20. Apesar disto parecer óbvio é importante frisá-lo, pois certas informações errôneas são transmitidas por leigos desinformados ou pela Mídia distorcida, fazendo alguns pacientes acreditarem na possibilidade de se fazer “o relógio do tempo” ser retardado conforme sua vontade. Nenhum cirurgião plástico logrará este intento.

Algumas pessoas são anatomicamente privilegiadas e conseguem resultados realmente surpreendentes, mas de maneira geral, todos(as) os(as) pacientes ficam extremamente felizes com a cirurgia. Desde que nos decidamos mutuamente a realizar a cirurgia (médico e paciente) é porque o resultado compensa. Caso contrário, seremos os primeiros a recusar a cirurgia.

Como acontece a consulta de preparação para esse procedimento?

Na consulta inicial o(a) paciente mostra, na frente do espelho, os problemas que deseja melhorar, analisando com o cirurgião as possibilidades e particularidades de cada caso. Os resultados não são os mesmos para formas de face, textura e flacidez de pele tão diferentes.

Quanto mais idoso(a) for o(a) paciente, menor será a duração dos efeitos da cirurgia. O mesmo ocorre com os de pele seca e quebradiça. Ao contrário, aqueles(as) mais jovens, com pele espessa e gordurosa obtêm melhores resultados e efeitos mais duradouros.

Existem riscos na cirurgia de Ritidoplastia?

Muitos questionam sobre os riscos da cirurgia. Toda cirurgia tem riscos, mas estes são geralmente previsíveis e na maioria das vezes, controláveis. A cirurgia estética, como procedimento eletivo, é uma conduta cirúrgica planejada, podendo aguardar a oportunidade ideal para ser realizada, razão pela qual os riscos sistêmicos a ela inerentes são menores.

Raramente traz implicações sérias, entretanto, como todo ato cirúrgico, tem seu risco natural e os imprevistos. Tenha a certeza que tudo será feito para evitá-los, proporcionando os melhores resultados. Lembre-se que os maiores interessados nos bons resultados são o cliente e o cirurgião, e o bom relacionamento entre eles deve ser sempre procurado nas consultas.

Como funciona a opção da Ritidoplastia a Laser e quais são os benefícios?

A Dra. Helena Lima oferece como opção aos seus pacientes a possibilidade de realizar a cirurgia de Ritidoplastia associada ao Laser. Utiliza-se laser CO² fracionado como tratamento complementar de rugas profundas nas áreas ao redor dos lábios, nariz e olhos.

Como vantagens, essa associação oferece:

– Menor tempo cirúrgico;
– Menos inchação;
– Recuperação mais rápida.

Cicatrizes existem, porém, estas sempre são camufladas de forma discreta e, com o decorrer do tempo, vão se tornando cada vez menos visíveis.

Quais são os cuidados pré-operatórios da Ritidoplastia?

Após conversar com seu médico e esclarecer todas as suas dúvidas, ele lhe indicará alguns exames de rotina que recomendamos sejam feitos cerca de 10 dias antes da cirurgia. Também uma avaliação clínico-cardiológica (risco cirúrgico) será recomendada. Em casos determinados podemos solicitar outro exame específico que possa ajudar no esclarecimento diagnóstico.

Lembre-se das recomendações gerais para as cirurgias, como não usar, por duas semanas antes, medicamentos à base de AAS, anticoagulantes, corticóides de uso prolongado ou medicamentos para emagrecer, vitaminas, arnica, ginko-biloba, antiinflamatórios; abstinência do fumo por 30 dias antes da operação; comunicar ao seu médico qualquer anormalidade ou uso recente de medicamentos, alergias medicamentosas ou alimentares e alguma outra recomendação que venha a ser pertinente.

Guardar em casa objetos pessoais como jóias e bijuterias. Se fizer uso de tintura de cabelos, aconselhamos que faça logo antes da operação, pois estes produtos somente poderão ser usados cerca de 30 dias depois.

Se tiver cabelos longos mantê-los sem cortar, pois ajudam a disfarçar a área operada nos primeiros dias. No pós-operatório imediato, este inconveniente poderá ser perfeitamente disfarçado com o penteado adequado.

No dia anterior deverá comparecer ao Instituto para trazer exames, fotografar e fazer o preparo pré-operatório (higienização e drenagem linfática da área a ser operada). Os cabelos são cortados somente nas áreas onde se planeja localizar as cicatrizes.

Acordar de jejum no dia da cirurgia, tomar banho completo usando apenas shampoo para lavar os cabelos (não usar condicionador), não passar creme ou maquiagem na face e chegar ao Hospital 1 hora antes da cirurgia com acompanhante.

Como é realizada a cirurgia de Ritidoplastia?

Após as fotografias pré-operatórias e o preparo dos cabelos, a cirurgia se inicia sob anestesia local com sedação ou geral, dependendo da indicação do anestesista ou da preferência do cirurgião e em conformidade com o(a) paciente.

As incisões (futuras cicatrizes) são postas de forma a camuflar ao máximo sua aparência e, assim, contornam as orelhas, sobem em direção ao couro cabeludo e, posteriormente, penetram na região pilosa de forma horizontal ou descendente. Como todas as cicatrizes, estas passarão por uma evolução natural até sua completa maturação (por volta de 12 a 18 meses), mudando do róseo ao tom semelhante da pele. Mas é bom lembrar que elas são permanentes e definitivas.

Todas as estruturas da face são reposicionadas removendo-se os excessos de pele. É uma cirurgia de passos delicados e assim, não deve perder qualidade em função da pressa. Dura cerca de 4 a 5 horas, dependendo das associações cirúrgicas como pálpebras, sobrancelhas, mento, injeções de gordura, lipoaspirações etc.

Deve-se sempre considerar um tempo maior de permanência no centro cirúrgico (cerca de 2 horas) em função do período que antecede a cirurgia para a preparação do campo operatório e anestesia, bem como do período de recuperação pós-anestésica. Sendo um procedimento cirúrgico, o tempo absoluto deixa de ter importância, pois certos casos demandam maior desgaste de tempo em certas fases da cirurgia. O que importa é o resultado obtido e não o tempo de cirurgia.

A internação hospitalar é recomendada por 24 horas ou de acordo com cada caso em particular. O(a) paciente sai da sala de operações com um curativo tipo capacete que é mantido por 24 horas, quando é feita a primeira troca por outro mais fino, o qual permanece por mais 2 ou 3 dias.

Este curativo deixa os olhos, nariz e boca descobertos. Sugerimos que o cliente traga um lenço de cabeça e óculos escuros para seu retorno ao domicílio, no seu primeiro retorno ao consultório.

Como funciona o pós-operatório?

No período pós-operatório imediato, o(a) paciente permanecerá sonolento(a) e poderá iniciar a dieta algumas horas depois, dependendo de cada caso. Isto será orientado pelo cirurgião e sua equipe. A cabeça ficará um pouco elevada não podendo deitar de lado para não comprimir a região operada.

A dor no pós-operatório é rara, podendo existir desconforto no primeiro dia devido ao curativo e isto é facilmente contornado com analgésicos comuns que serão prescritos pelo médico, juntamente com as medicações e orientações do pós-operatório. Não tome medicamentos sem o conhecimento do seu médico.

A paciente receberá alta hospitalar com todas as recomendações necessárias a uma boa recuperação:

  • Repouso de atividades físicas e limitação de movimentos bruscos e amplos;
  • Deitar com o tronco elevado por almofadas e travesseiros. Não deitar de lado ou de bruços até que seja autorizado pelo seu cirurgião;
  • Banhos molhando a cabeça somente com a autorização da equipe; o cabelo será lavado no 6° ou 7° dia de pós operatótrio;
  • Não trocar ou manipular os curativos, mesmo que haja um pequeno sangramento (que é normal e não deve assustá-lo(a). Todas as trocas de curativos deverão ser feitas pela equipe cirúrgica ou orientadas por ela.

OBSERVAÇÃO: Sangramentos copiosos ou variações volumétricas exageradas (inchaços) (na maioria das vezes unilateral) e de acontecimento súbito, acompanhados de dor, devem ser imediatamente comunicados ao seu médico. Pode se tratar de um hematoma e deve ser avaliado prontamente.

  • Os retornos para a retirada de pontos e avaliação pós-operatória são feitos com 5 e 7 dias da cirurgia. Retornos adicionais serão comunicados pelo cirurgião e devem ser seguidos para uma completa recuperação e avaliação dos resultados;
  • A retirada de pontos inicia no 3° dia, continuando entre o 5°, 7°, 9° e 12° dias de pós operatório;
  • Não dirigir por um período mínimo de 2 semanas;
  • A sensação de olhos secos pode acontecer quando se associa a cirurgia das pálpebras. Geralmente recomendamos o uso de colírios e pomadas oftálmicas em sua receita mas caso esta sensação esteja lhe incomodando, comunique com o seu médico;
  • Após 1 mês (ou antes, a critério médico) você poderá retornar a suas atividades físicas habituais como ginástica, natação etc;
  • Exposição ao sol com o intuito de bronzear somente será permitida após 30 dias (com proteção da cicatriz). Até aí, pequenas caminhadas sob o sol poderão ser feitas com o uso de bloqueadores solares;
  • O(a) paciente jamais deverá fazer compressas quentes ou com gelo na área operada, para melhorar o inchaço. A pele ainda estará sensível e poderá ocorrer queimadura de até 3º grau;
  • Recomendamos a realização de massagens (drenagem linfática) com início no 15º dia de pós-operatório, até cerca de 30 dias, ou de acordo com a avaliação médica.

A partir da operação, o organismo reage com inchaço e manchas roxas na pele que podem variar de uma forma discreta a reações mais intensas. Estas reações podem aumentar nos três primeiros dias e então iniciam o processo de regressão.

É muito importante não usar blusas de gola nas duas primeiras semanas evitando assim tracionar o lóbulo das orelhas ao retirá-las.

Não recomendamos o uso de cremes hidratantes até a retirada total dos pontos sendo que os esfoliantes e despigmentantes somente serão permitidos após avaliação do cirurgião (geralmente depois de 3 meses).

Neste período, somente é permitido lavar o rosto de forma suave com sabonete neutro e cremoso. Os cabelos poderão ser lavados cuidadosamente após o 7º dia da cirurgia, não usando secadores (eles poderão danificar a pele e até queimá-la). Para pentear os cabelos, use os dedos ou pente de dentes bem afastados.

A maquiagem poderá ser usada após cerca de 13 dias e a exposição ao sol, restrita ao 3º mês da cirurgia. Tintura de cabelo somente após 25 dias.

É comum o(a) paciente observar assimetrias e pequenas irregularidades na face que são absolutamente normais pois a metade direita da face é diferente da esquerda, inclusive na maneira de reagir à cirurgia. Assim, de um lado poderá haver mais edema que o outro ou um lado absorver mais rapidamente o edema que o outro.

A sensibilidade da face também é diferente nesta fase. É comum o relato da sensação de que a pele parece papel. Também pequenas nodulações podem ser percebidas ao acariciar a pele da face.

Elas correspondem a pontos de cicatrização e deverão desaparecer lentamente. Isto tudo vai retornando ao normal com o passar do tempo, pois o organismo precisa esquecer que foi agredido e isso leva algum tempo, não comprometendo o seu resultado.

Lembre-se que nenhum resultado cirúrgico deve ser avaliado antes dos três meses da intervenção, considerando a redução do inchaço. O nosso organismo trabalha dentro de uma forma ordenada e um tempo certo. Temos que controlar nossas ansiedades e aguardar a evolução natural, pois aqui não podemos interferir para mudar o curso do processo cicatricial.

Os efeitos da cirurgia são definitivos?

Sabe-se que o resultado da cirurgia não interrompe o processo evolutivo de envelhecimento e assim, seus efeitos não são definitivos. Assim, podemos operar a mesma pessoa duas ou três vezes, variando somente alguns detalhes técnicos nas reoperações. A pessoa estará sempre melhor na aparência do que se nunca tivesse sido operada.

Quais intercorrências podem acontecer após a cirurgia?

Um curto período de “depressão emocional” poderá ocorrer nos primeiros dias, devido ao aspecto transitório. Isto é passageiro e geralmente advêm da “ansiedade em se atingir o resultado final o quanto antes”. Tenha paciência. Lembre-se que nenhum resultado de cirurgia estética da face deverá ser avaliado antes dos 3 meses pós operatórios.

As intercorrências são situações que surgem no período pós-operatório e não interferem no resultado. São exemplos: equimoses (manchas roxas na pele), edema (inchaço), pequenos hematomas que podem drenar espontaneamente ou necessitar drenagem cirúrgica, deiscência de pontos (abertura do corte), etc.

Outras intercorrências indesejáveis e mais complexas, que felizmente são raras: infecção, grande deiscência de pontos, necrose parcial ou total da pele da face, grandes hematomas que precisam ser drenados e as intercorrências pertinentes a qualquer procedimento cirúrgico.

Nestas eventualidades é fundamental manter a calma e conversar profundamente com seu médico que cuidará atentamente do seu caso. O(a) paciente não deve transmitir a existência destas intercorrências a seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-lo(a) inseguro(a), nada podendo fazer efetivamente para ajudar. Isto gera angústia dúvidas e insegurança. Continuar confiando no seu médico ainda é o melhor caminho.

Como é a evolução da cirurgia em longo prazo?

A ritidoplastia não é cirurgia para o resto da vida. A qualidade dos resultados sofre alterações contínuas ao longo dos anos.

Alguns fatores como idade, variação do peso corporal, qualidade e textura da pele, influências hormonais, exposições prolongadas ao sol, estilo de vida, etc, interferem de forma incisiva na face, independente de ter ou não sido operada. No entanto, sempre com a defasagem da correção cirúrgica realizada.

Assim, nova cirurgia poderá ser indicada quando, com o passar do tempo, estas alterações se apresentarem, alterando a aparência e a flacidez dos tecidos faciais.

Esta nova cirurgia não é, entretanto, um retoque da primeira. É um novo procedimento que poderá ser indicado para nova correção dos efeitos do tempo na face.

IMPORTANTE: Resultados definitivos somente devem ser considerados após 12 meses da cirurgia. As cirurgias de retoques, quando necessárias, serão aconselhadas pelo cirurgião, devendo-se respeitar o tempo necessário para a adequação dos tecidos e acomodação das cicatrizes. Quando realizadas em momento inoportuno, podem não alcançar os resultados desejados. Os retoques não significam incapacidade técnica, mas sim uma revisão cirúrgica para se alcançar resultados ainda melhores. Os custos destes possíveis retoques serão cobrados somente em relação às despesas hospitalares e de anestesista. Não serão cobrados honorários da equipe cirúrgica desde que estes retoques sejam realizados no período sugerido pelo cirurgião.

Quando realizadas em momento inoportuno, podem não alcançar os resultados desejados. Os retoques não significam incapacidade técnica, mas sim uma revisão cirúrgica para se alcançar resultados ainda melhores. Os custos destes possíveis retoques serão cobrados somente em relação às despesas hospitalares e de anestesista. Não serão cobrados honorários da equipe cirúrgica desde que estes retoques sejam realizados no período sugerido pelo cirurgião.

Para fins de honorários, será considerado retoque, todo procedimento indicado pelo seu cirurgião seguinte à primeira cirurgia, num período subseqüente de 12 meses. Após este período, qualquer intervenção cirúrgica será considerada como um novo procedimento, independente do primeiro, mesmo que nas mesmas áreas.

Qual é o preço de uma cirurgia de Ritidoplastia?

Assim como em todas as cirurgias, não é possível estimar um valor para a Ritidoplastia sem avaliar o paciente, entender as suas necessidades, escolher o hospital que será realizado a cirurgia e principalmente as possibilidades.

É importante frisar que a consulta é necessária para conseguirmos um atendimento personalizado e assim elaborarmos um orçamento.

Algum convênio cobre a cirurgia de Ritidoplastia?

Não. Os convênios cobrem as cirurgias que estão ligadas a saúde do paciente e não cirurgias estéticas. Ao precisar de uma cirurgia que está ligada a sua saúde, passamos por um processo de perícia do convênio (atualmente o plano que a Dra Helena Lima trabalha é a Unimed) onde eles irão avaliar e autorizar a cirurgia. No caso, a Ritidoplastia é uma cirurgia estética, que não está ligada a saúde do paciente. Portanto, não é acobertada pelo plano.

Em quais hospitais a cirurgia de Ritidoplastia é realizada?

A Dra. Helena Lima realiza suas cirurgias atualmente nos seguintes hospitais:

  • Hospital Belvedere: Rua Afonso Costa Reis, 65 – Belvedere, Belo Horizonte – MG (31) 3228-3800
  • Hospital Mater Dei – Unidade Contorno: Av. do Contorno, 9000 – Barro Preto, Belo Horizonte – MG (31) 3339-9000
  • Hospital Vila da Serra: Alameda da Serra, 499 – Vila da Serra, Nova Lima – MG (31) 3228-8100
  • Clínica Forma: Rua Alvarenga Peixoto, 1465 – Santo Agostinho, Belo Horizonte – MG (31) 3335-6611

A cirurgia de Ritidoplastia pode ser associada a algum tratamento estético?

Sim! É indicada a associação da cirurgia a tratamentos estéticos como método de potencializar e manter resultados por mais tempo.

Na clínica Ibel, onde a Dra. Helena Lima atende suas consultas e da qual é proprietária, ela consegue atender essa necessidade dos seus pacientes por oferecer tratamentos estéticos e tecnologias de ponta.

Cada caso precisa ser analisado para poder indicar uma associação, mas vamos falar aqui sobre algumas indicações mais comuns de tratamento e quais são os seus resultados.

  • Ultraformer III: O Ultraformer III é um ultrassom micro e macro focado que trata principalmente a flacidez. Pode ser associado a cirurgia na área da face, papada e pescoço, obtendo resultados mais consistentes e duradouros. As sessões do procedimento são feitas anualmente e prolonga os efeitos da cirurgia.
  • Laser CO2 Fracionado: O laser CO2 Fracionado trabalha qualidade da pele, flacidez e correção de cicatrizes cirurgias. É um excelente aliado a cirurgia de rejuvenescimento facial potencializando os resultados. Pode ser indicado antes ou depois do procedimento cirúrgico da face como forma de preparação e qualidade da pele e para manter resultados.
  • Legacy: O legacy é um equipamento de radiofrequência que trabalha flacidez, gordura localizada e celulite simultaneamente. É muito indicado no pré e pós operatório de rejuvenescimento facial para tratar flacidez e preparar a pele estimulando colágeno.
  • Enerjet: O Enerjet é um novo tratamento que permite realizar tratamentos com ácido hialurônico que normalmente são injetáveis, porém, sem utilizar agulhas. Através da pressão, o equipamento consegue introduzir produto na face sem dor e sem agulhas gerando estímulos de colágeno e fazendo um efeito lifting.
  • Injetáveis – Botox, MD CODEs e Bioestimuladores: Os 3 tratamentos tem como objetivo tratar rugas, linhas de expressão e contorno corporal para obter resultados de rejuvenescimento natural. Ambos podem ser indicados dependendo do objetivo, como forma de potencializar resultados e também mantê-los por mais tempo.

Todas essas associações precisam ser avaliadas e discutidas entre o médico e o paciente na consulta para obter os melhores resultados possíveis.

Consulte informações sobre seu cirurgião plástico junto à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica pelo site na internet ou pelo telefone:

SBCP NACIONAL SBCP REGIONAL/MG
Fone: (11) 3825-9685 Fone: (31) 3275-1488
Site: www.cirurgiaplastica.org.br

Lembre-se de ler também as orientações gerais em cirurgia plástica que sempre são entregues na consulta junto a um informativo.